PTENG
© 2014 Egor
Recursos Humanos

Recrutamento

A entrevista de Selecção

É nas entrevistas que tudo se decide. O seu CV pode ser fantástico e o seu perfil o procurado pela empresa, mas se a entrevista corre mal dificilmente ficará com o emprego. Saiba como deve agir numa entrevista e como estar preparado para as perguntas mais complicadas.

Pontualidade

Chegue sempre a horas

Chegue sempre a horas para a entrevista. Se fizer esperar o seu potencial empregador logo no primeiro contacto, ele pode concluir que não é muito importante para si ou que é uma pessoa desleixada.

Uma boa desculpa para o atraso

Se chegar atrasado, deve ter uma desculpa muito boa para justificar o seu atraso. Um engarrafamento ou uma morada difícil de encontrar são desculpas pouco aceites. Quando se vai a uma entrevista de candidatura é suposto contar com circunstâncias imprevistas e estar preparado, e com tempo, para elas. Se mesmo assim chegar atrasado, peça desculpa mas não exagere. Há candidatos que chegam 5 minutos atrasados e que ficam 15 minutos a pedir desculpa.

Chegar cedo não é boa ideia

Chegar muito cedo também não é a melhor opção porque está a ser um peso para a recepcionista e vai parecer demasiado ansioso. Se fez mal as contas, vá dar mais uma volta ou tomar um café e nunca beba álcool. Um copo de vinho ou de cerveja pode ter um efeito relaxante, mas também efeitos nefastos no hálito e na imagem com que o entrevistador vai ficar de si.

Frio e calor

Se estiver muito frio e chegar cedo, aproveite para aquecer tranquilamente as mãos. Assim não vai ter que cumprimentar o entrevistador com uma mão gelada. Também no meio de uma onda de calor convém chegar cedo. Pode usar o tempo extra para ir à casa de banho lavar as mãos e refrescar-se. Assim evita um primeiro contacto com uma mão suada e pegajosa.

O grande momento do dia

Faça da entrevista o momento principal do dia. Ou seja, disponibilize tempo e não marque outros encontros perto da sua entrevista que o façam estar a olhar constantemente para o relógio. Não ficaria bem e o seu nervosismo iria transparecer.

Como agir?

Deve ter cuidado com a forma como age numa entrevista

Deve ter cuidado com a forma como age numa entrevista. Um especialista em recursos humanos analisa o seu comportamento ao detalhe. Conheça as nossas sugestões. E, é claro, não se esqueça de desligar o telemóvel assim que entra no edifício!

O encontro

Muitas vezes, tem que esperar um pouco até que o entrevistador apareça. Não se levante com um salto quando pensar que é ele que vai entrar. Espere tranquilamente até que lhe dirijam a palavra e levante-se só nessa altura.

Também não convém correr para o entrevistador com a mão esticada. Pode parecer excessivamente entusiasta ou desesperado. Espere que o outro tome a iniciativa de lhe apertar a mão.

Parecem pormenores e é uma questão de segundos, mas a primeira impressão pode fazer uma grande diferença.

Sentar-se

Deixe passar o entrevistador à frente quando se dirigem para o local da entrevista, a não ser que ele lhe abra a porta a si e faça sinal que pode passar.

Geralmente, indicam-lhe um lugar onde pode sentar-se. Se tiver escolha, opte por um lugar de onde possa facilmente ver o seu entrevistador.

De um modo geral, numa entrevista, os interlocutores sentam-se frente a frente. Assim podem olhar directamente um para o outro mas com distância suficiente entre eles para indicar que não é uma conversa íntima entre colegas ou amigos.

Pode, de forma natural, olhar um pouco à sua frente. O outro não vai considerar isto muito explícito e ambos vão sentir-se mais rapidamente à vontade.

Postura

A sua postura deve dizer essencialmente: "estou à vontade". Tente andar, sentar-se e estar em pé de forma descontraída.

A maioria dos candidatos começa com uma postura bastante tensa e contraída. Como estão nervosos, ficam muito direitos e encostados às costas da cadeira.

Vai sentir-se mais à vontade à medida que a conversa avança e pode mostrar isto através da sua postura. Deixe-se cair um pouco para trás, mude de posição de vez em quando, faça gestos, incline-se para frente.... Não fique sentado sem se mexer, mas também não exagere!

Use as mãos para fazer gestos, para sublinhar coisas ou para ajudar às suas explicações. Muitas vezes, os gestos mostram que o outro se sente à vontade e que está cheio de entusiasmo. Evite, contudo, ser demasiado teatral.

Contacto de olhos

Olhe para o entrevistador, mas não fixe nele o seu olhar, pois pode causar uma sensação desconfortável. Afastar constantemente o olhar também não dá bom resultado, porque pode ser sinal de incerteza, de que tem algo a esconder ou até de que está a mentir.

A arte de comunicar é reagir de forma flexível à situação. Tente olhar o entrevistador sempre que achar oportuno e tudo correrá bem.

Se houver vários entrevistadores, convém olhar para cada um mais ou menos em igual medida. Comece com a pessoa que lhe fez a pergunta e, de forma rápida, olhe a seguir para cada um dos outros.

Quando olha para o outro está a trocar impressões. Por isso, de vez em quando, diga que sim com a cabeça. Se inclinar a cabeça um pouco está a dar sinal de que está interessado e a ouvir com atenção.

Sorria!

Uma das primeiras coisas que o entrevistador vê no candidato é o rosto. Portanto sorria quando o cumprimenta, pois dará de imediato uma impressão positiva. Ainda não lhe disse nada e já mostrou que é um prazer encontrar-se com ele e que está entusiasmado.

Durante a conversa sorria de vez em quando, pois se não o fizer dá a impressão de estar stressado e inseguro. Não exagere! Se sair de lá com dores nas bochechas o recrutador pode pensar que esteve a sorrir para esconder insegurança.

Tenha atenção às expressões faciais. Se o entrevistador propuser uma coisa com que não está de acordo, é melhor não levantar as sobrancelhas. Isto pode querer dizer algo como "O quê?" ou "Aha, se as coisas são assim!".

Claro que depende da situação porque, se as coisas estiverem a correr bem, uma sobrancelha levantada pode significar que está interessado.

Despedir-se

Despeça-se descontraidamente, sem se mostrar demasiado ansioso. Não pergunte quando o irão contactar, refira apenas que aguarda então um contacto.

Como vestir-se

Todas as pessoas se interrogam sobre o que vestir para ir a uma entrevista. Será mesmo necessário usar fato já que nunca ou raramente o faz? E será que vai enfiar-se em meias de vidro e uma mini-saia para dar uma boa impressão? Ou será que o entrevistador aprecia que fique genuína e que se vista como todos os dias?

Não existe nenhuma resposta certa para estas perguntas mas deve apostar num visual cuidado. Desta forma mostra que a entrevista é importante para si e que se esforça para conseguir o emprego.

Adapte o seu vestuário à empresa onde vai candidatar-se e também ao posto. O recrutador vai dar mais atenção ao visual e à aparência na medida em que as funções são exercidas fora da empresa. Seja como for, roupa informal (jeans, calções e T-shirts) esta praticamente sempre fora de questão.

Vista o que vestir, garanta que fica confortável nas suas roupas. Se não sabe como comportar-se numa mini-saia e sapatos de salto alto, escolha umas calças. Se não suporta o uso da gravata, deixe-a na gaveta e use uma boa camisa.

Linguagem corporal

A primeira impressão

Quando nos encontramos com alguém, pela primeira vez, ficamos sempre com uma determinada impressão dessa pessoa logo no primeiro minuto. Muitas vezes, nas entrevistas, também se confia nas impressões. Não só o seu vestuário mas também a sua postura, o aperto de mão, a pontualidade e até os movimentos dos braços e pernas são avaliados minuciosamente pelo recrutador. Está na hora de dar atenção à sua linguagem não verbal, ela é muito mais importante do que geralmente se pensa.

A comunicação verbal é feita conscientemente mas o processo da comunicação não verbal é menos transparente. A comunicação não verbal é usada, em parte, de forma inconsciente, embora possamos usá-la também de forma consciente e estratégica. Ouve-se muitas vezes: "Não lhe disse nada mas fiz-lhe sentir claramente que não gostei.".

É principalmente a comunicação não verbal que é responsável pela primeira impressão de uma pessoa. O investigador americano Mehrabian fez uma estimativa da proporção verbal/não verbal do comportamento e concluiu que 55% da mensagem é transmitida via linguagem corporal. Ainda segundo o mesmo estudo, a voz é responsável por 38% e as palavras apenas por 7%!

Projecte essa descoberta numa entrevista e logo perceberá que o que está a dizer não é a única coisa importante. A forma como fala pode influenciar a continuidade da candidatura. A entrevista é, portanto, o momento certo para ter atenção à impressão não verbal que transmite.

Perguntas prováveis do entrevistador

Estas são algumas das questões que lhe poderão ser colocadas. Prepare-se adequadamente para elas.

Por que é que o havemos de contratar?

Porquê a sua opção por esse curso?

Quais as razões pelas quais concorre a este emprego?

O que sabe sobre a nossa empresa?

Por que é que quer deixar o seu actual emprego?

Também está a candidatar-se a outras empresas?

Como vê a evolução da sua carreira?

Quais os seus pontos mais fracos e mais fortes?

Com que tipo de pessoas tem dificuldade em colaborar?

Prefere trabalhar em equipa ou ser independente?

Prefere um horário das 9 às 7 ou nem por isso?

Consegue imaginar-se numa função de liderança?

As perguntas que deve fazer

Não adopte uma atitude passiva. É importante colocar questões ao entrevistador e mostrar-se interessado e dinâmico. Conheça as nossas sugestões de perguntas.

Quais os planos da empresa para o futuro?

A empresa tem grande rotação de pessoal?

Há possibilidades de evolução dentro da empresa?

Existem benefícios extra?

Há a possibilidade de receber acções de formação?

A quem devo responder e quem me deve responder a mim?

O mercado em que a empresa trabalha está a desenvolver-se?

Qual é o horário?

Poderei fazer um curso de valorização nesta área?

As minhas funções podem, ao longo do tempo, mudar radicalmente?

Vou estar colocado em algum projecto específico?

Medo de pedir muito ou pouco

"E quanto deseja receber? Dê-me um número". Esta é a pergunta «pesadelo» numa entrevista. O que responder? Tem medo de pedir um salário muito elevado e por isso perder a oportunidade de emprego, ou pedir de menos e ficar numa situação menos favorável para si.

A entrevista é um jogo se encarar o entrevistador como um adversário e aquele «período de nervos» como o lugar onde tem de utilizar todas as suas armas para sair de lá vencedor.

Entre os vários duelos que se travam, durante uma entrevista, há um específico em que é difícil escolher a arma para se lutar. A ocasião surge quando lhe perguntam pela remuneração que deseja receber. Esta é, talvez, uma das perguntas «pesadelo» e aqui está em jogo o poder da negociação.

Para conseguir o salário que deseja, opte por ter uma atitude evasiva. Não revele insegurança, escolha as palavras que vai dizer com calma e siga algumas das nossas ideias para conseguir vencer mais este duelo.

No seu currículo, nunca dê um valor em termos de remuneração, se não lhe pedirem. Antecipar-se a esta situação é correr o risco de o entrevistador colocar na gaveta o seu processo, no caso de não lhe agradar o número que indicou. Por outro lado, também corre o risco de vir a ganhar o que pediu quando a empresa estava disposta a pagar mais.

Se lhe pedirem essa informação, escreva a sua expectativa de salário com base nas suas anteriores experiências e nas exigências deste futuro emprego. Pode ainda acrescentar que é um valor negociável.

Se lhe perguntarem sobre o emprego actual e respectivo salário, pondere bem a resposta. Lembre-se de que os empregos são diferentes assim como as funções e, por isso, a remuneração actual não deve ser comparável com a nova função que irá desempenhar no futuro emprego. Dê uma resposta evasiva, referindo que o importante é saber se as suas aptidões são adequadas ao emprego que se candidata e, nesse caso, tem a certeza de que o salário vai ser justo. As suas remunerações anteriores não são tão importantes como as capacidades e experiências que pode oferecer à empresa.

Se o entrevistador lhe pedir uma proposta de remuneração inverta o jogo, ou seja, peça primeiro que ele refira o valor que tem em mente. Há sempre um valor previamente estabelecido e essa informação não é confidencial.

Se a resposta for inferior à sua ideia inicial, não tenha medo de referir que estava à espera de uma remuneração um bocadinho superior, na ordem dos XXX (dê um aumento de 10 ou 20 por cento ao valor atribuído pelo empregador). Depois, é negociar com "as cartas colocadas na mesa".

E se o entrevistador lhe responder que fez a pergunta primeiro? Então, tem mesmo de dizer algo. Opte por, em vez de referir um valor, dar uma margem - entre X e Y. E lembre-se de indicar para o valor mais baixo uma remuneração que lhe parece confortável.

Também pode fazer um trabalhinho de casa e, através de uma pesquisa, informar-se sobre a remuneração média atribuída aos colaboradores que exercem as funções para as quais se candidata. Contacte outros profissionais, leia publicações de negócios, etc.

Agora imagine que o entrevistador refere que vai contactar os seus empregadores anteriores para confirmar o salário. Esta situação é quase impensável, mas pode acontecer e, nesse caso, pense melhor em continuar interessado nesse emprego. A posição do entrevistador é, certamente, intimidá-lo, mas não se esqueça de exigir o mínimo de respeito. Afinal, a sua palavra está a ser colocada em causa.

O ABC das entrevistas

Aparência

Aposte numa boa aparência através do vestuário, do seu tom de voz e de uma postura física natural.

Benefícios

Tente saber, de forma discreta, quais os benefícios dos quais poderá usufruir (horas extras, prémios de assiduidade e pontualidade, comissões, etc.).

Confiança

Quando perceber que a entrevista está quase no fim, remate com um ponto a seu favor ou aproveite para fazer uma pergunta. Mostre-se confiante.

Debate

Fale abertamente, exponha os seus pontos de vista, debata ideias. Não caia na esparrela de concordar com tudo o que o entrevistador lhe diz. Mostre personalidade!

Envolver

Saiba envolver o recrutador para que ele pense em si de forma diferenciada em relação aos outros candidatos.

Franqueza

A franqueza é sempre o melhor caminho. Seja você mesmo! Ser genuíno é sinónimo de bom carácter.

Gargalhada

Rir é o melhor remédio, serve para todos os males. Se estiver atrapalhado com alguma pergunta, por que não dar uma boa gargalhada? O entrevistador gosta de estar perante uma pessoa com sentido de humor e, sobretudo, você vai ter tempo para pensar no que vai dizer a seguir.

Horário

Não se esqueça de perguntar qual é o horário. Essa é uma das questões mais simples e mais importantes. No entanto, faça-o no momento que achar correcto.

Interesse

Mostre interesse pelo projecto, pela empresa e faça perguntas sobre as funções a desempenhar.

Jovial

Mostre que tem um espírito jovem e dinâmico. Uma pessoa activa é sempre bem vinda!

Linguagem

A sua linguagem deve ser clara e pausada. Faça o possível para que o percebam. Não fale demasiado baixo, mas também não grite. Procure o meio termo.

Manipular

Não manipule nem se deixe manipular. Se pensa que pode enganar o entrevistador, começa mal. Geralmente nota-se quando a pessoa se vangloria, mesmo que de forma subtil, e isso fica muito mal.

Naturalidade

Se for natural só tem a ganhar. A artificialidade, ou o querer parecer o que não é, por norma não resulta.

Ordenado

O ordenado é um factor muito importante, mas, pelo menos na primeira entrevista, não fale no assunto - a não ser que lhe seja perguntado.

Pontualidade

Acima de tudo, não chegue atrasado a uma entrevista! O entrevistador pode pensar que você é desleixado e que não o respeitou porque o deixou à espera. Além disso, pode achar que terá o mesmo comportamento no local de trabalho, o que é bastante negativo.

Queixas

Não faça queixas dos seus antigos empregadores. Dizer mal só o vai prejudicar.

Respostas

Vá directo ao assunto e não se ponha com rodeios. O entrevistador pode pensar que você é um "fala-barato" que se farta de falar e não diz nada.

As suas respostas devem fornecer informações relevantes para o cargo que quer ocupar, além de informar sobre o seu passado profissional.

Responda no momento certo e evite os "mmm", "aaah", "deixe ver" ou outras hesitações do género.

Sorrir

Sorria sempre! Sorrir é sinónimo de descontracção e de simpatia. Além disso, vai mostrar optimismo.

Talento

As empresas procuram, acima de tudo, talento. Saiba mostrar o que vale!

Optimismo

Não deite foguetes antes da festa. Mesmo que lhe pareça que a entrevista correu da melhor maneira, não dê a batalha por vencida. No entanto, seja optimista. Se não o chamarem do emprego a que concorreu, com certeza vão chamá-lo de outro que até pode ser melhor.

Valor

Fale do que sabe fazer melhor, mencione cursos que tenha feito para além do curso universitário, e fale ainda da enorme vontade de conseguir o emprego a que está a concorrer. A motivação que o entrevistador vir em si é muito importante.

Questões

Não faça demasiadas perguntas, as que fizer devem vir a propósito e ser pertinentes.

Espírito Positivo

Antes de entrar na sala de entrevista pense que, se tudo correr bem, vai poder dizer um "YES" bem grande, com direito a braço no ar e tudo. Pense no seu percurso profissional para que na hora H tenha todas as respostas na ponta da língua.

Zelo

Se for zeloso só terá a ganhar, o cuidado no que diz é essencial, mas não esqueça que a naturalidade deve sempre ser preservada.

Se depois de tudo isto não conseguir o emprego, pense que foi mesmo um azar, não esmoreça e faça tudo de novo! Se possível com o mesmo ânimo!